segunda-feira, 30 de maio de 2016

Respondendo os leitores

Oi tudo bom com vocês? Então a um mês atrás recolhi algumas perguntinhas de leitores e respondi em vídeo deixo aqui o link com vocês para vocês assistirem ao vídeo e ver a resposta dessas perguntas, espero que vocês gostem. Um grande beijo!!


quarta-feira, 25 de maio de 2016

Diário do bebê - Dois meses do João Gabriel


Cada vez mais nítidas as mudanças e transformações que o João vem sofrendo, parece tão pouco tempo, parece que ainda é um recém nascido mas não, esta criança já esta com dois meses de vida, como esta passando rápido, eu queria saber a onde a gente aperta PAUSE para curtir cada vez mais cada dia e cada momento, eu mal acordo e quando vejo já são 22h e fico "mas já acabou o dia?" e nesse misto de alegria por poder descansar vem a tristeza de que meu bebê esta crescendo.

terça-feira, 10 de maio de 2016

Nasce uma grávida e surgem histórias


É incrível como basta a gente ficar grávida pra surgir tanta desgraça, como assim desgraça? Você deve estar se questionando, mas quem já esteve grávida ou se encontra grávida sabe como isso é chato e do que estou falando. Já não basta a gravidez que nos trás muitos medos e inseguranças, ainda tem gente que vem alimentar ou colocar mais medo na nossa cabeça. Parece que carregamos uma placa no pescoço que contém a seguinte frase 'me contem histórias macabras' e por onde passamos temos que ouvir alguma coisa.

Farei um diálogo simples para vocês entenderem melhor.
"Bianca (personagem fictício e grávida) foi ao médico junto com o marido, enquanto ele entrou na sala do consultório ela preferiu ficar do lado de fora, nisto chegam duas moças e sentam ao lado dela e começam a questionar, querem saber o sexo, quantas semanas e etc. Após todo questionamento maravilhoso começa as desgraças disfarçadas de alertas, carinho e informação 'Nossa você vai ter parto normal? Mas se o bebê passar da hora? O bebê da vizinha, da vizinha da minha vizinha quase morreu' , 'Esse bebê deve estar muito grande, olha essa barriga, você já esta com 40s né? Tem certeza que ele esta bem?' Bianca fica cada vez mais insegura, coloca os dedos no ouvido, começa a cantarolar 'lá lá lá lá' em alto e bom som e fica com vontade de matar duas pessoas."
Parece surreal este diálogo? Mas não é! As grávidas escutam desde as primeiras semanas essas histórias, desde mulheres que perderam seus bebês no início da gestação até histórias de partos macabros. Para cada fase da gravidez o povo tem uma história assustadora nova.

Muita das vezes as pessoas não percebem que elas não estão trazendo benefício algum, que elas não estão transmitindo preocupação com a grávida mas sim que estão tornando aquela grávida mais apavorada. Então ao chegar perto de uma grávida não precisa compartilhar estas histórias, a última coisa que uma mulher grávida quer saber são essas coisas, elas tem medos que as acompanham desde o positivo e não precisamos que eles sejam alimentados. A melhor forma de agir quando chegar perto de uma grávida é esqueça essas histórias, elas com toda certeza sabem que muita coisa pode acontecer mas não precisamos focar nesses detalhes, a grávida quer apenas passar por tudo isso de uma forma tranquila e feliz, chegar ao final da gravidez, segurar seu bebê nos braços, poder amamentar e levar para casa. Vamos ser mais gentis e deixar a cabeça desta mulher mais leve, porque contar essas histórias não vai ajudar em nada, apenas vai alimentar o medo que mora dentro desta mulher e que ela passa dia e noite combatendo.

domingo, 8 de maio de 2016

Feliz dia das mães visíveis


Quando a gente se torna mãe descobrimos o significado da palavra amor é algo muito intenso, muito vivo e inexplicável. Quando descobri pela primeira vez que seria mãe esse sentimento me levou numa onda, o Henrique nasceu e junto nasceu o amor de mãe, um sentimento muito diferente, maior ainda do que na gravidez, aquele que não cabe no peito e transborda nos olhos.
Quando o Henrique fez 2 meses de vida nasceu outro sentimento o medo pois nessa época ele internou. Não era o medo que nasceu desde o positivo era um medo muito mais intenso, era algo sem explicação, eu só queria fechar meus olhos e voltar com ele pra casa, eu só queria a paz do nosso lar, só queria que tudo isso acabasse mas foram 4 longos meses para se acabar.
E ai no meio de todo esse vendaval eu me tornei um outro tipo de mãe, uma mãe de guerra, uma mãe de luta diária, uma mãe invisível, eu me tornei mãe de um tetraplégico.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Histórias das maternidade - Brinquedos

Hoje venho com um vídeo bem legal e super engraçado para divertir vocês, vou contar sobre histórias da maternidade envolvendo brinquedos, brinquedos barulhentos, brinquedos que somem, que se quebram facilmente e os brinquedos que ligam sozinhos e nos assustam, rs

Vem assistir este vídeo e se gostar CURTA e COMPARTILHE!